Pular para o conteúdo principal

TRÊS ASPECTOS DA NATUREZA SEGUNDO OS VEDAS

Resultado de imagem para TRÊS ASPECTOS DA NATUREZA SEGUNDO OS VEDAS

Três Aspectos da Natureza
Facilmente podemos compreender de que maneira o homem concebeu, pela primeira vez, a ciência médica. Ao sofrer fisicamente, ele procurou um método de cura. Mas o que motivou o homem a procurar descobrir coisas sobre Deus? Esta questão dá margem a uma profunda reflexão.
Nos Vedas da Índia, escrituras de 100 mil parelhas de versos, encontramos o primeiro conceito verdadeiro de Deus. Em seus textos, a Índia deu ao mundo verdades imortais que resistiram ao teste do tempo.
Todo inventor, no plano da matéria, é movido por uma necessidade material – “a necessidade é a mãe da invenção”. Também motivados pela necessidade, os antigos rishis da Índia (sábios a quem foram revelados os Vedas) tornaram-se fervorosos buscadores espirituais. Eles descobriram que, sem satisfação interior, nenhum acúmulo de sucesso exterior consegue trazer felicidade duradoura. Como, então, pode alguém vir a ser realmente feliz? Este foi o problema que os sábios da Índia se encarregarem de resolver.
O Culto a Deus em tempos pré-históricos começou pelo medo que o homem tinha das várias forças da natureza. Quando chovia excessivamente, as inundações matavam muita gente. Aterrorizado, o homem passou a acreditar que a chuva, o vento e outras forças naturais fossem deuses.
Mais tarde, os seres humanos perceberam que a natureza opera de três modos: criandopreservando e dissolvendo. A onda que levanta no oceano exemplifica o estado de criação; pairando por um momento na crista do mar, acha-se no estado de preservação, e, mergulhando de novo nas águas profundas, passa para o estado de dissolução.
Assim como Jesus viu a força universal do mal personificada em Satã, também os grandes rishis viram as forças universais de criação, preservação e dissolução personificadas em formas definidas. Os sábios de outrora chamaram-nas de Brahma, o Criador, Vishnu, o Preservador; e Shiva o Destruidor. Esses poderes primários foram criados como projeções do Espírito não-manifesto, a fim de dar sequência a Seu infinito drama universal, enquanto Ele, como Deus transcendente à criação, permanece sempre oculto por trás da consciência desses poderes. Em épocas de dissolução cósmica, toda a criação e suas vastas forças ativadoras voltam a dissolver-se no Espírito. Ali repousam, até serem reconvocadas pelo Grande Diretor para reiniciarem seus papéis.
Na Índia, há um conto popular sobre Brahma, Vishnu e Shiva. Estavam os três jactando-se de seus tremendos poderes. De súbito, um menino apareceu e disse a Brahma: “O que você cria?” “Tudo”, respondeu Brahma, majestosamente. A criança perguntou aos outros dois deuses qual a função deles. “Nós preservamos e destruímos tudo”, eles responderam.
O pequeno visitante segurava na mão um fiapo de palha, quase do tamanho de um palito de dentes. Colocando-o diante de Brahma ele perguntou: “Poder criar uma hastezinha de palha igual a esta?”
Após um prodigioso esforço, Brahma descobriu, para sua surpresa, que não podia. O garoto voltou-se, então, para Vishnu e pediu-lhe que preservasse a palha, que lentamente começava a se desfazer sob o olhar fixo do menino. Os esforços de Vishnu para mantê-la íntegra foram infrutíferos. Finalmente, o pequeno desconhecido reproduziu o fiapo de palha e pediu a Shiva que o destruísse. Por mais que Shiva tentasse aniquilá-lo, porém, o fragmento de palha permaneceu intacto.
O menino voltou-se de novo para Brahma: “Você me criou?”, perguntou ele. Brahma pensou e pensou; não podia recordar-se de haver criado aquele menino extraordinário. De repente, o garoto desapareceu. Os três deuses despertaram de sua ilusão e se lembraram de que, por trás do poder deles, havia um Poder Maior.

três aspectos da natureza

Postagens mais visitadas deste blog

MUDRAS E SUA IMPORTÂNCIA NO FLUXO DE ENERGIAS E EQUILÍBRIO DA MENTE - PEDRO KUPFER

MudrasMudras são Selos, são gestos realizados com a mente, as  mãos, os pés, a boca, os olhos ou com o corpo todo.
Os Mudras são ligados ao fluxo das energias, tanto na mente como no campo energético, e fazem correspondência com o corpo físico,  especialmente por meio do sistema endócrino e do sistema nervoso simpático e parassimpático. Eles produzem efeitos fisiológicos e psíquicos benéficos, proporcionando a saúde psicossomática, o  equilíbrio dinâmico e a harmonia interna. A palavra sânscrita Mudra deriva de duas raízes, mud e ra, tendo diversos significados. Pode ser traduzida por deleite, alegria ou prazer, pois  ao conectar as correntes de energia solar e lunar nos canais e centros energéticos ou psíquicos do praticante, esse experimenta a  consciência do prazer. Mudra dá uma sensação de bem-estar e felicidade. Outro significado para Mudra é magia ou encanto, pois, como num passe de mágica ou num encantamento, um determinado gesto corporal conduz o indivíduo a um respectivo estado de …

QUAL O NOME DAQUELA JÓIA NA TESTA DA MULHER INDIANA ?

Qual o nome daquela jóia na testa?
A razão do título é porque muita gente me pergunta sobre essa linda jóia, e mesmo eu há pouco tempo não sabia ao certo o nome, então quando eu queria comprar, perguntava na loja "...sabe aquela jóia que as indianas usam na testa, pendurada assim e assim.." e como vi que muita gente também me pergunta dessa forma resolvi me aprofundar mais no assunto e estudar melhor sobre o tema, até porque eu gosto de conversar sobre roupas e ornamentos indianos e dividir informações.

Essa jóia é chamadaTikkaou Maang Tikka e não se confunde com o bindi, que é um pontinho no centro da testa (falei sobre o bindiaqui).

Essa jóia é usada por mulheres em grandes festas, principalmente casamento tanto pela noiva quanto pelas convidadas.

Possivelmente não há maior beleza do que uma noiva enfeitada no dia de seu casamento, e os lindos enfeites de casamento indianos e jóias destacam o rosto, principalmente um enfeite como o maang tikka.

TÉCNICAS RESPIRATÓRIAS DO YOGA TEM EFEITOS SIMILARES A MEDICAMENTOS PSIQUIÁTRICOS

TÉCNICAS RESPIRATÓRIAS DO YOGA TEM EFEITOS SIMILARES A MEDICAMENTOS PSIQUIÁTRICOS28 de novembro de 2016·por 
Inspire profundamente, expandindo a barriga. Faça uma breve pausa e em seguida solte o ar bem devagar. Repita esse procedimento 5 vezes. Parabéns. Você acabou de acalmar o seu sistema nervoso. Está cada vez mais provado que a respiração controlada, como essa que você praticou agora, reduz o estresse, aumenta o estado de alerta e melhora o sistema imunológico. Por séculos, os yogis vêm usando técnicas de controle da respiração, ou pranayamas, para promover a concentração e melhorar a vitalidade. Estudos descobriram, por exemplo, que as práticas de respiração podem ajudar a reduzir os sintomas associados com a ansiedade, a insônia, o transtorno de estresse pós-traumático, a depressão e o déficit de atenção.   A maneira como a respiração controlada promove a cura ainda é motivo de estudo científico. Uma teoria é que ela pode mudar a resposta do sistema nervoso autônomo d…